CRIMINOSOS E TERRORISTAS.
22nd February 2017
TRAIÇÃO CONJUGAL
22nd March 2017

 

 

MUDAR DE VIDA.

NÃO LEVAR AS COISAS MUITO A SERIO.

 

Em primeiro lugar isto vale para a minha pessoa.

Sempre querendo dar conta de tudo, ter tudo sob controle, fazer as cosas bem feitas, ter objetivos a realizar, se auto-superar, e ser alguém produtivo.

Em meu imaginário, quem não é produtivo, é malandro e preguiçoso. E que horror esta gente que não atinge nada e é um perdedor.

Pois é. O balanço de perdas e ganhos:

Faço regularmente ginástica, por ser deficiente visual não posso conduzir um carro e, conseqüentemente, tenho que resolver tudo caminhando, carregando o meu land Rover (meu carrinho de compras com estampas gigantes em branco e preto), pratico alongamento, exercito um Chi Kung e meditação regular. Como tudo saudável, eu não tenho vícios. Ah! E ainda ando de patins, claro!

Apesar disto tudo…

Surpresa da vida:

Num exame de ultra-som, foi detectado um tumor no rim. Daí, começa a se perguntar: O que fiz de errado se eu faço tudo certo?!!!

Resposta:

Por que “faço tudo certo” não significa que a vida não me trará lições a fim de corrigir o curso, enquanto há tempo! Esta é a realidade, não importa se aceito ou concordo. É assim e ponto final.

Mas que correções de curso se eu “FAÇO TUDO CERTO”????

Pois é.

Eu me envolvo com as coisas terrenas de uma forma muito apegada, controlar tudo a fim de evitar surpresas, deixar tudo em ordem, ser competente com os compromissos assumidos até cair morta.

Agora, assim de repente, a vida está me fornecendo uns lembretes de que toda esta minha sanha pode me levar a lugar nenhum, tudo poderá ter seu fim e, de um momento para o outro.

O que fazer então?

Por hora, eu puxei o freio de mão! (apesar de não dirigir)

Agora me sinto como se estivesse me movendo em território estranho, sendo convidada a abandonar minha zona de conforto. Realizar mudanças para que eu finalmente me aquiete. Preciso encontrar a zona de tranqüilidade e disto estou consciente há muito tempo.

E como se aquietar quando o pior que me pode acontecer é não fazer nada? No dia a dia esqueço de que necessito me aquietar. No final do dia estou frustrada porque mais uma vez esqueci-me de treinar a tranqüilidade e de me conectar com a Divindade. Sou uma pessoa acostumada a estar sempre fazendo algo. Sempre em movimento. Limpando, pintando, tentando algo novo, fazendo artes decorativas, atividades físicas, cozinhando, cuidando da casinha, escrevendo para o blog, escrevendo meus romances. Sempre arrumo algo para fazer. Sempre.

E esta é a questão. O “sempre”!

Vamos ver como poderei fazer estes câmbios em minha vida repleta de costumes e rotinas instaladas:

Eu amo este Blog. Minha paixão. Acho-o leve e lindo. Eu acho! Montei-o com muito trabalho dedicação de tempo e carinho para meus leitores. Quando estava satisfeita com o resultado, sofreu um ataque de hackers que o destruiu em 100%. Mudei de servidor, tive gastos extras e fui obrigada a montá-lo completamente desde o inicio. Uma tragédia. Tive a tentação real de querer desistir deste projeto pessoal, mas me refiz do desastre, depois de muitas lágrimas roladas. Anseio muito ajudar pessoas e ser útil com temas interessantes. Até o momento escrevia loucamente por que eu li, em algum miserável lugar na internet, que tinha obrigação como blogueira, de produzir textos freqüentemente, caso o contrario, meu publico seguidor irá me abandonar se eu não estiver constantemente apresentando algo de novo. Com este susto existencial inconveniente, acabei descobrindo que não era uma máquina! E às favas com este conselho da internet.

Agora irei produzir textos sem pressão. Produzir com calma, pois se eu zelar pela minha saúde física e mental, eu poderei produzir sempre meus artigos e escrever meus livros, que também ocupam meu tempo. Se me deixar escravizar sob a ditadura do constante produzir, tombarei outra vez. E o que terei alcançado?

Passarei a me treinar em deixar as coisas seguir o seu curso natural e agir ou reagir quando for necessário. Relaxar e não lutar para ter tudo sob controle e estar sempre fazendo algo. Aprender a não fazer nada será a o meu maior desafio! Ah! Saber parar… Mas tal é uma questão de escolha e, dependendo das escolhas, um resultado.

Isto não quer dizer que se você estiver vendo que o muro de sua casa está com rachaduras comprometedoras e, se você ficar relaxado  ficando esperando o curso natural das coisas, o dito do muro virá a cair. E concertar o estrago causado então irá lhe custar muito mais dinheiro do que se você tivesse agido antes. Ter se adiantado. Bom senso também é uma boa regra para o êxito pessoal.

Atividade física. Entender que nem tudo pode ser como a minha fantasia aquecida o deseja e os resultados também terão que ser afrouxados e… Para baixo… Entender que não tenho mais vinte anos, também seria uma conduta sensata! E eu faço uma boa figura, peso e aparecia em ordem, entretanto, a gente quer sempre mais e mais. Só que isto não funciona como funcionava antes. O importante é a saúde, sem ela não acontece mais nada. Saber parar ou encontrar o ponto do meio é a questão.

Graças a tudo, os exames ainda foram promissores e nada de metástases. Depois da cirurgia de retirada do rim afetado, o tema é adaptar-se a nova caminhada que precisa ser definitivamente, outra.

MUDAR DE VIDA

 

Com este pequeno e singelo post, quero estimular a todos os meus leitores, não importando a idade que tenham. É importante ter objetivos e trabalhar por eles, mas acima de tudo, a paixão pelo objetivo não deveria ser demasiado alta a ponto de nocauteá-lo. Trabalhar por ele deve ser saudável, trazer alegria e não deveria ocupar 24 horas a sua mente. Atenção para não destruir os relacionamentos que são importantes em sua vida devido ao trabalho. Deveria aprender a ter outros interesses para balancear suas atividades/objetivos e não acabar virando em um obcecado. Se uma meta não deu certa, não se frustre não desista, ou pior, não se enfureça. Busque uma nova alternativa. Insista. Mas analise ou aceite as coisas de maneira mais relaxada, pois o preço de ser um campeão em teimosia pode ser uma correção abrupta da vida, que poderá não ser agradável. Um acidente, uma doença, uma perda significativa, algo que abala as nossas bases. Normalmente depois da “chamada de atenção”, com certeza, a vida não será mais como era antes. E pensar que ”comigo isto não vai ocorrer”, é a pior mentira e ilusão que contamos a nós mesmos!

MUDAR DE VIDA

 

Também existem aquelas pessoas que vivem a vida como uma folha ao vento. Uma “chamada de atenção” nos fará lembrar de que a vida não é só de futilidades. Ela está pedindo mais compromisso, mais espiritualidade, mais engajamento para dar um sentido substancial à história que se vive. De repente somos obrigados a abandonar o sono letárgico e entender que a vida é um bem dos maiores que recebemos e o que fizermos dela é nossa responsabilidade.

Um dia tudo passará, e não poderemos levar nada conosco. Somente satisfação ou frustração. Assim, faça o que deve ser feito com amor e estratégia, mas não se destrua a si mesmo nem aos outros com os quais convive.

Depois não adianta em nada assumir o papel de vitima ou por a culpa nos outros.

Tudo está dentro de nós mesmos. Não procure as coisas aonde elas não existem.

 

 

MUDAR DE VIDA

ISTO PODERÁ LHE INTERESSAR:

LINK INTERNO     Faça de sua vida um sucesso    

LINK EXTERNO    Não levar a vida tão a serio 

E se você gostou de nosso site e de nossos artigos, ficaremos felizes com um comentário seu ou com um clique no like. Acrescente nosso BLOG em seus favoritos. Novos artigos postados periodicamente. Contato com S.Fair:  s.fair@livrosideiaslivres.com

Leave a Reply

avatar
  Subscribe  
Notify of