BATATAS RÖSTI
BATATAS RÖSTI
10th August 2017
7 CONDIÇÕES PARA MEDITAR BEM 
7 CONDIÇÕES PARA MEDITAR BEM
8th September 2017
6 DIFICULDADES NA MEDITAÇÃO DO INICIANTE

 

6 DIFICULDADES NA MEDITAÇÃO DO INICIANTE

 

Escrevemos três artigos complementares sobre o tema “meditação”. Neste primeiro post desta série, vamos iniciar por comentando e analisando sobre as possíveis 6 DIFICULDADES NA MEDITAÇÃO DO INICIANTE.

 

Tanto se ouve falar em meditação.

Mas por que meditar?

Existem inúmeras razões:

Melhora a concentração e a criatividade, pois a meditação treina focar.

Tranquiliza e reduz o estresse, pois a mente se treina em sintonizar com um sentimento de tranquilidade.

Transforma para melhor o nosso cérebro, pois a meditação cria uma alta ativação no cérebro. Com pessoas acostumadas a meditar regularmente e profundamente, se constatou cientificamente, que o cérebro muda. Ocorre uma superatividade no córtex frontal esquerdo, a área que registra emoções positivas. Isto significa que podemos treinar a nossa mente, sensibilizar e moldar os circuitos cerebrais para obtermos grande sensação de bem estar. E isto sempre que desejarmos em nossas atividades ao longo do dia.

Melhora o humor, pois a meditação amplia nosso entendimento de tolerância e bons sentimentos.

Melhora os sintomas da dor, pois com o meditar se aprende a relaxar o corpo. Em estágios mais avançados da meditação, com a sintonia com o Divino, obtemos considerável alívio.

Melhora o sono combatendo a insônia, pois a meditação harmoniza as ondas mentais. A insônia somente se instalará se a nossa mente estiver muito envolvida com um fato que nos deixa ativo e alerta. Algo que tenhamos dificuldades em soltar. Remoer demais um tema somente traz esgotamento.

A pessoa fica mais atenta, pois a meditação nos sensibiliza ampliando a nossa percepção material e espiritual.

 

É natural que, em nossos dias agitados, tenhamos dificuldades generalizadas em nos aquietar e sentar-se para meditar. Sempre estamos pulando de uma sensação atrás da outra: dar um telefonema, ver os e-.mails, quantos likes e amigos se recebeu nas redes sociais, ver televisão, ouvir música, jogar no computador, chats, e outras atividades que nos mantém ocupados e, no final das contas, nos exaurem as forças. Temos imensos problemas em parar. Acreditamos que sempre temos que estar fazendo algo, mas não raro, temos mesmo muito que fazer e dar conta.

Escolher viver uma vida sob a ditadura do stress, estar constantemente irritado com dificuldades para dormir, ter medo do futuro e da vida, sempre funcionando e produzindo, consequentemente, estar constantemente ansioso e esfalfado. Sinceramente, isto não é a melhor alternativa. Não foi para isto que recebemos o dom da vida. E, quando nos damos conta, pode ser tarde e padecemos as consequências de uma vida caótica ou congestionada.

Muitas pessoas sofrem com as consequências devidas a falta de atividade física. Porém, praticando uma atividade regularmente de forma moderada, gera benefícios a saúde física e psíquica em geral. Diminuindo assim os níveis dos hormônios do stress aumentando a sensação de bem estar.

Desta feita, da mesma maneira que treinamos o nosso corpo, deveríamos treinar a nossa mente também.

 

6 DIFICULDADES COM A MEDITAÇÃO DO INICIANTE

1-Dificuldades com a meditação em manter a mente em estado presente. A frustração tende a ocorrer em pouco tempo logo depois que o entusiasmo inicial passou. Sempre se ouviu falar de que a meditação é algo lindo e maravilhoso, que acalma relaxa e nos tranquiliza. Mas na prática, ela parece ser uma tortura uma vez que a mente pula de um tema para o outro. O treino de nossa musculatura mental consiste em praticar uma mente estabilizada no foco ou no tema que se medita: a sensação da presença de Deus, sentir a Sua presença em nosso interior, buscar a vibração transcendental do Divino, sensação de Luz, de amor universal.

Solução – Paciência com nós mesmos e não nos irritar com as nossas dificuldades. Estamos acostumados com imediatismos e isto não funciona no aprendizado da meditação. Sempre retornar ao foco. Sem se desesperar, mil vezes retornar. Paciência e paciência. Este exercício é trabalhoso no inicio.  Precisamos nos aquietar ensinando à nossa mente acostumada em ser agitada e ocupada, para que se acalme e, voltar sempre ao foco. As coisas com a nossa mente indisciplinada são como são, mas podemos nos decidir sempre em retornar ao foco: meditar no Altíssimo.

2- Dificuldades com a meditação em decorrência de cansaço ou sono. Isto também é normal no princípio. Ocorre por estarmos habituados a estar constantemente em atividade com o nosso corpo e, sempre pensando em algo. Quando as atividades reduzem, devido ao relaxamento da meditação, acontece a sensação de sono. É claro então que lutamos para não adormecer e os bocejos são intermináveis.

Solução – Novamente paciência. Abras os olhos, mire por uns vinte segundos para cima, respire umas três vezes profundamente e retorne ao foco. Desânimo não é uma atitude que leva ao progresso. Não só na meditação como em tudo em nossa jornada existencial.

3- Dificuldades com a meditação pelos ruídos que nos rodeiam. Tudo nos distrai e nos irrita.

Solução – Desista em esperar que o mundo se silencie. Ele é ativo e barulhento. Nossa casa pode ser barulhenta e ter ruídos que nos atormentam a paz mental na meditação. Acostume-se a manter a tranquilidade e relaxamento mesmo com os ruídos existentes. Pensar que “se eu não tivesse este ou aquele ruído, eu poderia meditar sem problemas” Ilusão! A mente é especialista em criar ou procurar por qualquer outra coisa ou novo motivo para nos amofinar. Quer seja ruído, quer seja coceiras, um inseto, o latido de um cachorro, um avião, uma moto, a máquina de lavar roupas etc. Não acreditemos que necessitamos de silencio absoluto para meditar. Normalmente isto não é possível, especialmente para aqueles de nós que moram em numa cidade de transito intenso de automóveis.

6 DIFICULDADES NA MEDITAÇÃO DO INICIANTE4- Dificuldades com a meditação devido à falta de tempo. Estamos com aquela sensação de ansiedade, milhares de coisas por resolver. Sentimos que estamos sobpressão o tempo todo e que não vamos dar conta. Um horror.

Solução – Não forcemos de inicio a ter que meditar por longos períodos. Inicie com cinco minutos. Depois dez… Não olhemos para o relógio. Nunca! Confiemos em nossa sensação de bem estar na meditação. Para o principiante aconselharia meditar enquanto se sentir bem. Sem controle de relógio, pois ele nos colocará sobpressão outra vez. Podemos meditar dentro do carro enquanto num engarrafamento, na sala de espera de um consultório, em nosso trabalho no escritório para angariar força e motivação etc. Sempre nos é possível encontrar um momento em que podemos acalmar a nossa mente e interior. Levante 15 minutos antes ou vá dormir 15 minutos mais tarde. Se o companheiro não entender ou achar ridículo que irá iniciar a meditar, faça isto no banheiro, na garagem quando estiver sozinha. Mesmo que isto signifique não ter um horário regular, no início. Com o tempo, as coisas e circunstancias irão criando todas as possibilidades naturalmente. O tempo e o trabalho faz milagre! Não estrague tudo com estresse e pensar que não é possível pela falta de tempo, compreensão familiar ou agitação ao redor. E que meditar não é para o seu caso, a alternativa ideal. Tudo se arranjará em seu devido tempo. Para isto, é necessária a imprescindível seriedade e compromisso. Empenho em querer fazer o nosso melhor, pois queremos nos melhorar. Invista neste projeto uma vez que os bons frutos virão com certeza. Entretanto, os frutos serão o resultado direto de nosso empenho e dedicação.

Deus não fará nada por nós, pois Ele deseja que nós entendamos, aprendamos e encontremos o Caminho. Os Caminhos, as técnicas são inúmeras, cada qual deve amadurecer e encontrar o seu próprio Caminho que nos impulsione espiritualmente. Não existe uma única regra, um único procedimento, a não ser a sinceridade, o empenho e o aprofundamento na arte de meditar. O nosso Eu saberá como proceder. Saber se estamos na direção correta e se o método que estamos praticando é bom ou não para nós. Não estaremos jamais sozinhos e abandonados. Quando algo precisa ser corrigido ou esclarecido, a ajuda virá, quer seja por intermédio de um livro, de um vídeo, por meio de uma pessoa ou pela própria intuição.

Não coloque o ato de meditar no calendário, do tipo: ”terça e quinta- feira em tal horário  específico eu irei meditar”. Isto não funciona e não acrescenta absolutamente nada a nossa vida espiritual. Meditemos todos os dias e sempre que for possível dentro em nossas atividades. Isto é costume adquirido e treino. Basta querer, ser persistente. Com o tempo, o ideal é ter um horário mais ou menos fixo fazendo disto um hábito.

5- Dificuldades com a meditação com a regularidade. Depois de umas duas ou três semanas, o entusiasmo some e tenderemos a abandonar a prática dizendo que isto “não é nada para mim”. Não sou um monge, não tenho  o dom da quietude. Isto é besteira.

Solução – Uma boa dose de disciplina é necessária no inicio, isto não resta dúvidas. Entretanto, outra vez temos ter em claro: sem perseverança e disciplina não há progresso em nada em nossa vida. Sempre teremos que estar atentos para manter e desenvolver a qualidade de nossa meditação. É ilusório acreditar que todo este processo é sem esforço, depois de um determinado tempo de prática. Se posicionar, os rituais que fizermos ou as orações expressadas, mentalizações… Que tudo é simples e rotineiro. Tudo pode ser já conhecido, mas a mente sempre precisa ser direcionada. Trabalhar para retornar ao relaxamento enfatizando o foco, todas às vezes, todos os dias.

E meditar somente quando se está com vontade, inspirado e disposto, empurrar para o dia seguinte, estas coisas. Lembrar que as nossas sensações e sentimentos são bem volúveis e se transformam a cada instante. E viver sob a autocracia do humor, do ânimo e das disposições nos levará a um beco sem saída. Mas por fim, é uma questão de decisão de o quanto queremos desenvolver a nossa vida espiritual, o quanto desejamos evoluir, APESAR das dificuldades.

6- Dificuldades com a meditação devido ao desconforto físico. Em decorrência a falta de prática com o sentar quieto, sentimos dores aqui e acolá, dor de cabeça, adormecem as pernas e aí vai…

Solução – Quando as pernas adormecerem, não tentar levantar em seguida. Fazer uma pequena massagem ou um alongamento antes. Dores nas costas significam que já temos algum problema instalado na coluna. Exercícios de fortalecimento irão ajudar. O importante é sentar-se corretamente e manter o corpo relaxado sempre, caso contrario, a tensão consciente ou inconsciente provocará dores generalizadas e falta de concentração. Sobre a forma correta de se sentar, você obterá orientações no terceiro artigo desta série ou no link no final deste artigo.

Citamos alguns ditos “obstáculos” que estão aí para nos desencorajar ou motivar-nos para que moldemos a nossa vontade a fim de vencê-los. Vencendo nossos bloqueios, a recompensa será a satisfação pessoal interior de se constatar o quanto progresso nos será possível realizar em nossa vida além da almejada paz interior.

 

E se você gostou de nosso site e de nossos artigos, ficaremos felizes com um comentário seu ou com um clique no like. Acrescente nosso BLOG em seus favoritos. Novos artigos postados periodicamente. Contato com S.Fair:  s.fair@livrosideiaslivres.com

 

6 DIFICULDADES NA MEDITAÇÃO DO INICIANTE

ISTO PODERÁ LHE INTERESSAR:

-LINK INTERNO –4 TÉCNICAS DE COMO MEDITAR   

-LINK EXTERNO – meditação guiada 

Leave a Reply

Your email address will not be published.